Share
A- A A+

Article from:

Creation  Volume 33Issue 2 Cover

Creation 33(2):20–23
April 2011

View in English
Katso suomeksi
View in Finnish
Living Fossils-Grand Experiment Ep2


US $16.95
View Item
Evolution's Achilles' Heels


US $19.00
View Item

Fósseis vivos: um poderoso argumento a favor da criação

Don Batten entrevista Dr. Carl Werner, autor de “Fósseis vivos (Evolução: O Grande Experimento vol. 2)

por
traduzido por Xavier Silva

9807-Carl-Werner
O Dr Werner

O Dr. Werner formou-se em Biologia na Universidade de Missouri, com distinção (summa cum laude). Recebeu seu doutoramento em medicina com a idade de 23 anos e exerce medicina de urgência em St Louis.

Dr. Werner explicou o que são fósseis vivos e por que ficou tão interessado neles, coletando fotografias desses fósseis ao longo dos últimos 14 anos: "Fósseis vivos são animais e plantas fossilizados que se assemelham a organismos modernos. Fiquei interessado nos fósseis vivos como uma ferramenta para testar a evolução."

"Existem basicamente dois modelos sobre como a vida surgiu: O modelo evolucionista sugere que elementos químicos se uniram e formaram uma única célula viva há quase quatro milhares de milhões de anos atrás e, em seguida, esta célula transformou-se, ao longo de grandes períodos de tempo, em todos os outros seres vivos. Exemplos de mudanças evolutivas incluem a de um dinossauro transformando-se numa ave ou a de um mamífero terrestre de quatro patas transformando-se numa baleia. O outro modelo, o criacionismo, sugere que um ser sobrenatural externo (Deus) criou todos os diversos tipos de animais e plantas de uma só vez, e esses organismos mudaram pouco ao longo do tempo, excetuando variações dentro dos limites de um tipo básico".

O uso de “tipo” pelo Dr. Werner é semelhante ao uso bíblico da palavra "espécie" [tipo] em Génesis. Por exemplo, um animal pode sofrer uma mudança, mas somente dentro de seu tipo, como um lobo para um cão – mas não pode sofrer uma mudança radical, tal como um mamífero de quatro patas para uma baleia.1

O Dr. Werner continuou, "Os fósseis vivos forneceram-me uma maneira simples para testar a evolução. Se a evolução não ocorreu (os animais não se alteraram significativamente ao longo do tempo) e se todos os animais e plantas foram criados de uma só vez e viveram juntos (seres humanos , dinossauros, carvalhos, rosas, gatos, lobos, etc), então deveríamos poder encontrar fósseis de pelo menos alguns animais modernos e plantas modernas ao lado de dinossauros nas camadas rochosas. Propus-me testar essa idéia, sem qualquer conhecimento prévio de qualquer organismo moderno nas camadas rochosas. Os meus resultados (como foram apresentados no livro e vídeo “Fósseis vivos”) mostraram que muitos animais e plantas modernos são encontrados juntos com dinossauros – e isso é muito mais do que eu esperava encontrar."

Contrariamente à crença popular, tipos modernos de aves foram encontrados [em rochas da época dos dinossauros] incluindo: papagaios, corujas, pinguins, patos, mergulhões, albatrozes, corvos marinhos, maçaricos, alfaiates, etc

O Dr. Werner e a sua esposa Debbie viajaram mais de 100.000 milhas (160.000 km) e tiraram 60.000 fotografias enquanto filmavam a série de televisão “Evolução: O Grande Experimento”. (O episódio 2 desta série, “Fósseis Vivos”, revela exatamente o que eles encontraram.) Concentraram-se em fósseis encontrados em camadas de rochas de dinossauros, e compararam estes fósseis com os animais e plantas modernos.

"Olhamos apenas para os fósseis encontrados nos locais de escavação de dinossauros para que os cientistas que apoiam a evolução não podessem sugerir que os fósseis que nós analisamos não eram ‘antigos’. Todos os fósseis que usamos para fazer as comparações foram encontrados em camadas rochosas da época dos dinossauros (Triássico, Jurássico e Cretáceo)."

Muitos animais modernos em rochas da época dos dinossauros!

Perguntei ao Carl quantos tipos de animais modernos, exatamente, ele havia encontrado nas camadas da época dos dinossauros.

"Encontramos exemplos fossilizados de todos os principais filos de animais invertebrados que vivem hoje, incluindo: artrópodes (insetos, crustáceos, etc.), mariscos, equinodermos (estrelas do mar, crinóides, estrelas quebradiças, etc.), corais, esponjas e vermes segmentados (minhocas, vermes marinhos) .

"Os vertebrados – animais com espinha dorsal, tais como peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos – mostram este mesmo padrão."

Peixes modernos, anfíbios e répteis

"Peixes cartilaginosos (tubarões e raias), peixes ósseos (como o esturjão, peixe-espátula, salmão, arenque, solha e amiídeos) e peixes sem mandíbula (peixe-bruxa e lampreia) têm sido encontrados nas camadas de dinossauros e têm a mesma aparência das formas modernas.

"Sapos e salamandras de aparência moderna foram encontrados em locais de escavação de dinossauros.”

"Todos os grupos de répteis actuais foram encontrados nas camadas de dinossauros e têm aparência igual ou semelhante às formas modernas: jibóias (Boa constrictor), lagartos (lagartos terrestres e lagartos voadores), tartarugas (tartarugas de caixa, tartarugas de carapaça mole), e crocodilianos (jacarés, crocodilos e gaviais)."

As aves modernas

"Ao contrário da crença popular, tipos de aves atuais foram encontrados, incluindo: papagaios, corujas, pinguins, patos, mergulhões do norte, albatrozes , cormorões, maçaricos, alfaiates, etc. Quando os cientistas que apoiam a evolução divulgaram esta informação durante as nossas entrevistas na TV parecia que mal podiam acreditar no que estavam dizendo diante das câmaras."

Dr. William Clemens, UC Berkeley, sobre serem encontradas aves modernas em rochas do Cretáceo. (Clipe do DVD “Fósseis Vivos”)

Mamíferos

Paleontólogos descobriram 432 espécies de mamíferos nas camadas de dinossauros, quase tantos quanto o número de espécies de dinossauros. … Mas onde estão esses fósseis? Visitamos 60 museus, mas não vi exibido em nenhum deles um único esqueleto completo de mamífero originário das camadas de dinossauros. Isto é incrível.

"Nos locais de escavação de dinossauros os cientistas encontraram muitas formas de mamíferos extintos incomuns, como o multituberculata2 mas também encontraram mamíferos fossilizados que se assemelham a esquilos, gambás, demônios da Tasmânia, ouriços, musaranhos, castores, primatas e ornitorrincos bico de pato. Não sei o quão perto estes mamíferos estão das formas modernas porque não consegui ver a maioria deles, mesmo depois de ir a tantos museus."

"Poucos estão cientes do grande número de espécies de mamíferos encontradas com dinossauros. Os paleontólogos descobriram 432 espécies de mamíferos nas camadas de dinossauro;3 quase tantos como o número de espécies de dinossauros. Estes incluem cerca de 100 esqueletos de mamíferos completos. Mas onde estão esses fósseis? Visitamos 60 museus, mas não vi exibido em nenhum deles um único esqueleto completo de mamífero originário das camadas de dinossauros. Isto é incrível. Vimos apenas algumas dezenas de esqueletos incompletos/ossos individuais das 432 espécies de mamíferos encontradas até agora. Porque é que os museus não exibem estes fósseis de mamíferos, assim como os fósseis de aves?"

Muitas plantas modernas em rochas da época dos dinossauros!

"Nas camadas rochosas com dinossauros encontramos fósseis de cada divisão principal de plantas extantes, incluindo: plantas com flor, ginkgos, coníferas, musgos, musgos vasculares, cicas e fetos. Novamente, se você olhar para estes fósseis e os comparar com formas modernas, rapidamente concluirá que as plantas não mudaram. Fósseis de sequóias, magnólias, cornisos, choupos, nenúfares, cicas, fetos, cavalinhas, etc. têm sido encontrados nas escavações de dinossauros".

Foram alguns organismos modernos não encontrados?

9807-fossil-sea-urchin
Fóssil de ouriço-do-mar

9807-modern-sea-urchin
Ouriço-do-mar moderno

"Nas camadas de dinossauros não encontrei fósseis de todos os organismos vivos atualmente, no entanto encontrei exemplos representativos de todos os principais filos animais extantes e todas as principais divisões de plantas existentes hoje. Indo um pouco mais longe, dentro destes grupos maiores, frequentemente encontrei representantes de todos os grupos ou classes principais dentro de um filo. Por exemplo, para equinodermes (estrelas do mar, ouriços do mar, etc.) encontrei fósseis de todos os tipos principais existentes. O mesmo com os insetos e os crocodilianos, etc. Não encontrei nenhum mamífero grande. O maior mamífero descoberto numa camada de dinossauros até agora (tamanho ao vivo) tem 30 libras (13 kg). No entanto, com tantos fósseis vivos, tanto plantas como animais, de todos os principais filos e de todas as divisões principais de plantas, isso aponta para a estagnação (falta de mudança) e não para a evolução. Gostaria também de salientar que, se você olhar para os graves problemas com o sistema de camadas de fósseis (a coluna geológica, tal como é apresentada pelos geólogos atualmente), a ausência dos mamíferos maiores pode ser explicada facilmente, mas vou deixar isso para uma outra altura".

Contos evolucionistas “inafundáveis”?

Perguntei ao Dr. Werner como é que os cientistas evolucionistas lidam com esta evidência, tendo em conta estas descobertas notáveis. O Dr. Werner comentou: "Se você acredita de todo o coração numa teoria, você sempre será capaz de sustentar essa crença, mesmo em face de evidências contraditórias, adicionando uma hipótese de resgate para essa teoria. Por exemplo, se um cientista acredita na evolução e vê fósseis que se parecem com os organismos modernos nas escavações de dinossauros, ele/ela pode inventar uma hipótese para "explicar" os fósseis vivos da seguinte forma: "Sim, eu acredito que os animais mudaram muito ao longo do tempo (evolução), mas alguns animais e plantas estavam tão bem adaptados ao ambiente que não precisaram de mudar. Pelo que os fósseis vivos não me incomodam de maneira nenhuma’. Esta hipótese adicional diz que alguns animais não evoluíram. Mas, se uma teoria pode ser tão flexível, ao ponto de acrescentar hipóteses que predizem o oposto da sua teoria principal, torna-se impossível refutar a teoria. A teoria torna-se então inafundável, e uma teoria inafundável não é ciência."

Nomes diferentes para o mesmo animal?

Carl relatou como os cientistas evolucionistas classificam os fósseis com nomes de géneros e espécies diferentes das formas extantes, criando a ilusão de evolução: "Deixe-me dar-lhe um exemplo. Um cientista encontrou um ouriço do mar fóssil numa rocha do Cretáceo que parece quase idêntico a um moderno ouriço do mar “espatango”, mas atribuiu-o a um género completamente novo (Holaster). Se você visse aquela criatura viva no oceano iria reconhecê-la como um espatango (género Spatangus). O nome diferente sugere que ouriços do mar mudaram ao longo do tempo, mas isso é "evidência" inventada a favor da evolução. O fóssil é idêntico ao equivalente vivo." (Veja fotos à direita).

A Evolução foi refutada?

Perguntei o Dr. Werner se seu estudo refutava a evolução.

"Está-se tornando cada vez mais difícil para o modelo evolutivo manter-se em pé perante este grande número de fósseis vivos. Adicionando os muitos outros problemas com a evolução (registro fóssil, origem da primeira vida, problemas com a deposição de camadas geológicas, as semelhanças de animais não-relacionados, etc.), você pode declarar com confiança que sim, a teoria está acabada. Se alguns grandes mamíferos fossem encontrados nas camadas de dinossauros, poderia estar mesmo acabada para os crentes obstinados na evolução, mas as pessoas tendem a ir para a sua sepultura com as teorias que aprenderam na faculdade. Uma nova geração pode muito bem olhar para tudo isto e perguntar: ‘O que é que eles estavam a pensar?’"

Referências e notas

  1. Sarfati, J., Variation and natural selection versus evolution, Refuting Evolution capítulo 2; creation.com/rech2 Voltar ao texto.
  2. Eles eram uma ordem de mamíferos parecidos com roedores, cujo nome foi atribuído devido aos seus dentes (várias filas de protuberâncias, ou tubérculos, nos seus molares). Voltar ao texto.
  3. Ver Kielan-Jaworowska, Z., Cifelli, R.L. e Luo, ZX, Mammals from the Age of Dinosaurs: Origins, Evolution, and Structure, Columbia University Press, NY, 2004. Voltar ao texto.

You are probably accessing this site because you had questions—just like everyone else. That’s why CMI exists. You can help keep the free answers on this site coming. Support this site

Comments closed
Article closed for commenting.
Available only from day of publication.
Copied to clipboard
9807
Product added to cart.
Click store to checkout.
In your shopping cart

Remove All Products in Cart
Go to store and Checkout
Go to store
Total price does not include shipping costs. Prices subject to change in accordance with your country’s store.